sábado, 28 de julho de 2018

Apoio internacional a Lula explode nos EUA




O apoio internacional à candidatura e à liberdade de Lula passou por ex-presidentes das Américas, da Europa, do Oriente, da África, congrega vários prêmios Nobel, chefes de Estado, como o primeiro-ministro da Espanha, e culmina, agora, com a adesão à campanha pró Lula de quase 10% do Congresso norte-americano.
Na última quinta-feira, o eurodeputado italiano Roberto Gualtieri, do partido Democrático da Itália e presidente da Comissão de Economia do Parlamento Europeu, visitou Lula na prisão. Foi representar o Bloco Social Democrata no Parlamento Europeu e o Partido Socialista Europeu. Entregou a Lula mensagens de apoio de parlamentares e ex-presidentes italianos.



Ao vivo: Festival Lula Livre

Chico Buarque: Tivesse Lula imóveis e contas no exterior, talvez fosse melhor tratado

Chico Buarque: Tivesse Lula imóveis e contas no exterior, talvez fosse melhor tratado



Jornal GGN - O depoimento abaixo foi escrito pelo cantor, escritor e compositor Chico Buarque para o livro Lula Livre/Lula Livro, uma coletânea de textos de vários artistas e intelectuais acerca da situação do ex-presidente, preso na Lava Jato. Em seu texto, Chico Buarque lembra um episódio antigo que vivenciou com Lula e diz não confiar que a Justiça brasilera será imparcial e corrigirá a sentença imposta ao petista por Sergio Moro. "Lá de dentro ele mandou dizer que já que não confia na Justiça. Nem eu."
Na visão de Chico, o ódio da Lava Jato e da mídia a Lula é, na verdade, reflexo do ódio aos mais pobres. "Tivesse ele imóveis na praia e dinheiro no exterior, talvez fosse mais bem tratado pelas autoridades", afirmou o cantor, que fará parte do Festival Lula Livre, no Rio de Janeiro, na noite deste sábado (28).
O texto foi divulgado pelo blog Diário do Centro do Mundo.

Lula, por Chico Buarque
***
— Eu nunca tive nada contra o Lula. Eu inclusive estive com ele naquela casa lá de pobre em São Bernardo. Depois eu e a Ruth convidamos o Lula para passar um fim de semana em Ubatuba com a Marisa. Aí ele reclamou que não tinha água quente no chuveiro da casa. Imagina! O Lula!
Era o Fernando Henrique, sempre simpático, em reunião com artistas às vésperas das eleições de 1994. Naquele tempo ainda se podia achar graça numa anedota assim. Era um deboche, era um comentário preconceituoso, mas não havia um pingo de ódio naquelas palavras.
Lula ainda não era o chefe de organização criminosa, o ladrão, o comunista, o cachaceiro, o nine, o boneco vestido de presidiário enforcado ao lado de Dilma num viaduto de São Paulo. Ainda não tinha sido condenado sem provas, por imprensa, televisão, procuradores esquisitões e juízes deslumbrados, como proprietário de um triplex, ou tríplex, no Guarujá.
O ódio ao Lula é o ódio aos pobres. Tivesse ele imóveis na praia e dinheiro no exterior, talvez fosse mais bem tratado pelas autoridades que o trancaram e o mantêm isolado numa cela da Polícia Federal. Lá de dentro ele mandou dizer que já não confia na Justiça. Nem eu. Só espero que ele tenha água quente em Curitiba.

quarta-feira, 25 de julho de 2018

Festival Lula Livre, no dia 28: mais de 40 artistas confirmados

Jornal GGN - O Festival Lula Livre do dia 28 de agosto, nos Arcos da Lapa no Rio de Janeiro vai ser um marco na luta por Lula. A previsão atual é de que o evento dure 10 horas seguidas e com mais de 40 artistas já confirmados. Na lista estão Chico Buarque, Gilberto Gil e Beth Carvalho e no cardápio uma série de oficinas, atividades lúdicas e shows.
Vai ser o maiorevento político-cultural do ano, garantem os organizadores, e a reunião de artistas, intelectuais e movimentos sociais se dará pela defesa da democracia e da liberdade do ex-presidente.

domingo, 8 de julho de 2018

Moro desobedece a Justiça e impede soltura de Lula


segunda-feira, 2 de julho de 2018

Perícia no sistema da Odebrecht mostra que não há pagamentos ou referências a Lula

Jornal GGN - A defesa de Lula vai entregar ao juiz Sergio Moro, nos autos da ação penal sobre o sítio de Atibaia, o resultado de uma perícia no MyWebDay, um dos sistemas que a Odebrecht usava para efetuar pagamentos de propina no exterior. Segundo Painel da Folha desta segunda (2), a perícia mostra que "não há referência ao petista nos arquivos nem informações que o vinculem a atos ilícitos relacionados à Petrobras."
No processo do sítio, Lula é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro envolvendo as obras no imóvel que pertence, na verdade, aos empresário Jonas Suassuna e Fernando Bittar. As empreiteiras OAS e Odebrecht teriam feito reformas no espaço em troca de contratos com a Petrobras, dizem os procuradores de Curitiba.
Assim como ocorreu no caso triplex, a defesa de Lula tenta evidenciar que não há provas ligando os contratos entre as empreiteiras e a estatal de petróleo e dinheiro destinado ao ex-presidente.
Ao lado do MyWebDay, o sistema Drousys é o que rende mais polêmica. O ex-advogado da Odebrecht Rodrigo Tacla Duran afirma que ele foi adulturado antes e depois da Lava Jato ter sido deflagrada, o que coloca em xeque todas as provas que os procuradores extraem dos sistemas para corroborar denúncias apresentadas a Moro.


sábado, 30 de junho de 2018

Uma organização criminosa chamada sistema midiático-penal

“Quando chegamos ao ponto de saber o resultado de uma ação no STF pelo ministro q é escolhido para aprecia-la, ou pior, quando o ministro é escolhido para que se obtenha o resultado esperado por alguns, significa que não existe diferença entre Justiça e Crime Organizado no Brasil.” (Tiago Estéfano)

Queira ou não queira a Globo...Lula Presidente!!

Danyelle Soares Comin
Queira ou não queira a Globo...Lula Presidente!!


https://www.facebook.com/danytrix/posts/10216579923348468


Mariamagda Rodrigues Lima Eu não sou nordestina, moro em R.Preto, sou mineira, professora! Tenho muito orgulho de ter votado no maior presidente que esse país já teve! Ele será presidente novamente e eu votarei com muito orgulho e quantas vezes for necessário!
Gerenciar
CurtirMostrar mais reações
Responder16 h
Sergio Borges Eu sou de Minas cidade pequena mas desenvolvida não sou analfabeto me considero inteligente e votaria em Lula com certeza
Gerenciar
CurtirMostrar mais reações
Responder8 h
Braz Queiroz Lula Livre e presodente
Gerenciar

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Lula e a manipulação do ódio



(Do blog com equipe) - O sistema tenta, tenta, mas não consegue disfarçar a sua permanente estratégia lafontainiana do Lobo e do Cordeiro com relação a Luís Inácio Lula da Silva.

Não que Lula seja - muito pelo contrário - um ovino.

Sem chegar a ser uma jararaca, sua força junto à população brasileira não pode ser subestimada ou não estaria - mesmo preso - à frente de todas as intenções de voto para a presidência da República.

Aliás, voltando à fábula lupina, não é por outra razão a não ser essa que o objetivo evidente da extrema-direita, de morolistas a intervencionistas, mbls e bolsonarianos, é conservar o ex-presidente preso, seja por quantos ou quais motivos forem desde que um deles se preste a mantê-lo afastado das urnas, da vontade popular e das eleições presidenciais deste ano.   

quinta-feira, 28 de junho de 2018

Artistas se unem por #LulaLivre nos Arcos da Lapa


Clique para ampliar

Jornal GGN - Muito se compara os dias atuais à obscuridade da ditadura, o golpe de 2016 é um exemplo. Entretanto, não era só nos anos 70 que os artistas uniam-se contra os abusos daqueles que estão no poder. Nesta luta continua por um estado democrático de direito, os músicos Chico Buarque, Caetano Veloso e Martinho da Vila, junto com o jornalista Luís Nassif e outras personalidades, convocam o povo para o Festival Lula Livre que irá ocupar a Praça dos Arcos da Lapa, no Rio de Janeiro, dia 28 de julho.
Na rua, com música, arte e política democrática, os organizadores e convidados entrarão na luta pela liberdade do ex-presidente Lula. “Pedir a imediata libertação de Luiz Inácio Lula da Silva não significa apenas um gesto de solidariedade ao mais popular presidente deste nosso país.Significa também um gesto de solidariedade a todos nós, brasileiros e brasileiras. Um gesto de exigência para que se respeite a Justiça, pilar básico de qualquer sistema minimamente democrático.”, diz a convocatória.
Entre os organizadores do Festival, os chamados convocadores, estão Leonardo Boff, Chico Buarque, Eric Nepomuceno, Martinho da Vila, Lucélia Santos, Luís Nassif, Conceição Evaristo, Fernando Morais, José Celso Martinez Correa, Hildegard Angel, Luiz Carlos Barreto e Ziraldo.
O grande ato em defesa de Lula, preso há quase 3 meses, já ocupou outras capitais brasileiras e agora a convocatória de  “todos os setores democráticos da sociedade” será para o protesto no Rio Janeiro, em meio à arte e cultura.
“Com o país à deriva, com o crescente aumento dos riscos de naufrágio, é imperioso retomar, com urgência, o rumo da normalidade. E essa caminhada só se dará com a realização de eleições efetivamente livres e representativas da vontade popular. Nós nos opomos rigorosamente à arbitrariedade a que Lula está submetido, e que deve cessar de imediato. Queremos sua liberdade já. Entendemos ser direito invulnerável dos 146 milhões de eleitores poderem optar inclusive por não votar nele.”, diz outro trecho da convocatória.
A convocação foi divulgada no dia 17 de junho e cerca de 700 artistas, intelectuais e personalidades estão na lista para o evento. São eles:
  1. Acioli Cancellier de Olivo, engenheiro e professor – SP
  2. Adair Rocha – professor – RJ
  3. Adelvane Néia – palhaça – PR
  4. Aderbal Freire Filho – diretor teatral
  5. Adilson Xavier – pesquisador de cultura afro-brasileira
  6. Adler Paz – Cineasta – BA
  7. Adolfo Pérez Esquivel, Nobel da Paz 1980, Argentina
  8. Adriane Canan, roteirista e documentarista – SC
Segue a lista completa

É Proibido Não Resistir, por Ton Cabano


Clique para ampliar

Muitas são as formas de lutar contra o estado de exceção em que vive a democracia brasileira e que ceifou um legitimo mandato popular numa manobra das forças políticas e econômicas derrotadas nas quatro últimas eleições presidenciais e que tentam evitar que um ex-presidente concorra ao pleito vindouro.
O golpe percorria o Brasil nos editoriais da grande mídia partícipe do conluio que tirou do poder a Presidenta Dilma Roussef e, neste período, a capital paranaense tomou para si o discurso da moral e da ética, onde parte da população em preconceituoso discurso e carregado no ódio fascista, munida de suas panelas, se autodenominaram de: República de Curitiba.
Contudo, nem tudo eram flores, pois o discurso da moral e da ética já nascera natimorto nos gabinetes dos políticos corruptos e interessados nos resultados do golpe e da Operação Lavajato. O tiro saiu pela culatra e a Curitiba transformou-se na “Republica da Resistência”, fruto das seguidas lutas populares contra a política de arrocho que vitimou o funcionalismo público paranaense na gestão Beto Richa-Cida Borghetti, assim como pelo prefeito Rafael Grecca e pelo implemento da política entreguista no âmbito federal.

terça-feira, 26 de junho de 2018

Lula: 'Não sou pombo correio para andar com tornozeleira eletrônica'


Lula

Tempo estimado de leitura: 35 segundos 

Em conversa com seus advogados nesta segunda-feira, o presidente Lula foi taxativo. Lula disse que sua luta é por liberdade definitiva, pela anulação da condenação injusta, sem provas, pelo juiz Moro. Em uma tirada típica, Lula sentenciou:
- Não sou pombo correio para andar com tornozeleira eletrônica.

Com isso, Lula mandou recado não apenas para seus advogados, mas para a militância e pré-candidatos a presidente da República: não está interessado em joguinhos de bastidores, acordos conciliatórios.

Como inocente que é, Lula quer justiça e a única justiça possível para um inocente é a anulação de sua condenação, o reconhecimento de sua inocência, sua liberdade, para que possa concorrer à presidência e disputar nas urnas o julgamento dos brasileiros.

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Papa Francisco presenteia Lula e critica sua prisão, por Eduardo Guimarães


A campanha internacional a favor de Lula ganhou um apoio de ENORME peso. A notícia passou batida pela grande imprensa. Segundo a Folha de SP, em maio o papa Francisco criticou indiretamente a prisão de Lula ao criticar a mídia por difamar pessoas públicas até que sejam presas. E, nesta segunda-feira, 11 de junho, presenteou o ex-presidente com um rosário.
Em uma homilia divulgada há alguns dias, o papa Francisco criticou o papel da mídia em difamar pessoas públicas a ponto de leva-las à prisão, gerando “golpes de Estado”, segundo a agência de notícias do Vaticano, a Vatican News.
Francisco citou o exemplo de Jesus, que, no Domingo de Ramos, foi recebido em Jerusalém com aclamações de “Bendito o que vem em nome do Senhor“, mas, na sexta-feira seguinte, as mesmas pessoas gritaram “Crucifiquem-no“.
Essa instrumentalização do povo é também um desprezo pelo povo, porque o transforma em massa. É um elemento que se repete com frequência, desde os primeiros tempos até hoje. O que aconteceu? Fizeram uma lavagem cerebral [no povo] e mudaram as coisas. E transformaram o povo em massa”, disse o pontífice.
Nesse ponto da  homília, Jorge Mario Bergoglio, é o 266.º Papa da Igreja Católica e atual Chefe de Estado do Vaticano, fez uma critica indireta – porém muito direta – à prisão do ex-presidente Lula. Disse ele:
Criam-se condições obscuras para condenar uma pessoa. A mídia começa a falar mal das pessoas, dos dirigentes, e, com a calúnia e a difamação, essas pessoas ficam manchadas. Depois, chega a justiça, as condena e, no final, se faz um golpe de Estado”.
Nesta segunda-feira, 11 de junho, após aquela critica indireta à prisão de Lula, o papa Francisco enviou um rosário a ele, segundo a página do ex-presidente no Facebook.
Conforme o Blog da Cidadania vem informando, a campanha internacional a favor de Lula não para de crescer e pode obrigar a ditadura brasileira a permitir que o ex-presidente dispute a eleição presidencial de 2018, como quer a maioria esmagadora do povo brasileiro.

domingo, 10 de junho de 2018

Datafolha: Mesmo da prisão, Lula continua liderando em pesquisa

Claro que eu votarei em quem Lula mandar 

Claro que eu votarei em quem Lula mandar, até mesmo como forma de protesto contra o golpe e os prepostos do Império tipo os miShell da vida, bem como em gratidão ao ex-presidente e como forma de grito contra sua prisão injusta, arbitrária e política.

Jornal GGN - A prisão do ex-presidente Lula não resolveu o problema do partidarismo da justiça, o ex-presidente ainda carrega grande poder de influência no processo eleitoral. A conclusão é do Datafolha que, em pesquisa, mostra que 30% dos eleitores dizem que votariam, com certeza, em candidato indicado por ele, e somente 17% talvez o fariam. É muito.
Já 51%, na contramão, dizem que o apoio de Lula a um candidato os levaria a rejeitar esse nome. O que não esmorece a intenção do PT em registrar a candidatura de Lula apesar da prisão e pelo fantasma da Lei da Ficha Limpa pairando por perto.
De todo jeito, a pesquisa demonstra que Lula seria um fator determinante nesta eleição: seja como candidato ou como apoiador. 
Mas, mesmo que os 51% digam que rejeitariam nome indicado por Lula vale analisar o apoio de outros personagens de nossa história:  o candidato que Fernando Henrique Cardoso apoiar vai ter que se livrar dos 65% dos eleitores que rejeitariam uma indicação do ex-presidente tucano. E, no caso de Temer, a rejeição a qualquer candidato que ele apoiar sobe para estratosféricos 92%.
Um terço dos eleitores acham que o ex-presidente Lula deveria apoiar Ciro Gomes (PDT), caso seja impedido de concorrer as eleições deste ano.
O quadro fica disperso quando a pesquisa aponta cenários sem Lula como candidato. De acordo com o Datafolha, 45% doseleitores votariam em branco, anulariam o voto ou não escolheriam ninguém caso o substituto fosse Haddad. Marina Silva (Rede) herdaria 17% dos votos e Ciro, 13%.
O certo é que a prisão de Lula não facilitou a vida de seus adversários, ao contrário, eles ainda encontram dificuldades para conquistar eleitores. Na pesquisa Datafolha da semana passada mostra que Lula ainda leva 30% das intenções de voto e mais de um terço dos eleitores sem opção quando analisam o cenário sem ele.
A pesquisa contou com 2.824 entrevistas em 174 municípios e foi feita após a paralisação dos caminhoneiros.